terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Um presente da Revolução




Havana, 24 de janeiro de 2009.

A amplitude da Revolução é incrível, mesmo que tenha seus erros internos, afinal, todo e qualquer sistema desenvolvido pelo ser humano é falho. Quando a gente pára para pensar a respeito, é de ficar abismado. Resumindo, tudo é financiado pelo estado: educação, saúde, etc e ainda de acesso universal. Cuba é um dos poucos lugares no mundo onde existe eqüidade entre a população e neste aspecto abrange qualidade de vida. Qualidade de vida com eqüidade existe de verdade aqui, no restante do mundo eu sei que existe em um lugar: Nos documentos da ONU, esses documentos que propõem um mundo melhor – até parece piada.
A Revolução está financiando meus estudos, e também de mais de 2000 jovens da América Latina (isso que só estou abordando os dois primeiros anos de faculdade). Desde que chegamos, em março de 2008, temos alimentação, moradia, uma bolsa auxílio de 100 Pesos Cubanos (mesmo que simbólica), material de higiene pessoal e ganhamos os uniformes. Também ganhamos nossos livros (um exemplar para cada estudante), tais como Junqueira (de histologia); Cardellá (bioquímica); Atlas de Anatomia e também um livro texto; Guyton (de fisiologia, e não é o pequeno, é uma edição em quatro volumes), etc. Não bastasse isso, cada estudante ganhou um esfigmomanômetro (pra quem não sabe, é o aparelho de verificar a pressão arterial, afinal ninguém é obrigado a saber) e um estetoscópio.
Sinceramente, posso até estar errado no que vou dizer, mas creio que nem Harvard faz isso por seus alunos.

Inverno Cubano

Havana, 23 de janeiro de 2008

Agora deve ser umas 3 ou 4 horas da manhã, logo mais eu vou ter prova prática. Bom, mas que se exploda (pra eu não dizer outra coisa) a prova. Eu acreditaria em Papai Noel, mesmo sendo cético, mas nunca iria acreditar que faz frio em Cuba. Sério, essa madrugada está fazendo 8ºC, porém a sensação térmica é inferior .E no aerepoto internacional José Marti houve registros de 5ºC. A real é que sempre fui cético. E pior é que me dei por conta que estava frio, quando o pessoal do Sul (tipo eu), da Argentina, Uruguay, Chile e das partes mais altas do Perú e da Bolívia, isso porque pra galera do norte e nordeste do Brasil já sente frio a 20ºC.
Igual, que se dane! Sempre fui cético e não é agora que vou deixar de ser. Digo que sou pior que São Tomé – há coisas que nem vendo eu acredito (ou “acardito” como dizia um tiobisavô meu – mais velho que o rascunho da Bíblia, diga-se de passagem. Se bem que hoje ele faz parte da matéria orgânica do solo, ou seja, voltou ao pó). Se não me engano, ele até “empacotou” antes do Big Bang , mas igual não vem ao caso, é só pra ilustrar que esse “causo” é antigo.
Até porque o caso é que incrivelmente faz frio no Caribe. Como eu descrevi nos textos anteriores que um moleton bastava, agora tive que colocar uma jaqueta mais grossa. Deixa eu enrolar neste parágrafo mais um pouco, é que não fica legal um parágrafo só com um período – os vestibulandos que o digam!!!! Pronto, muitos até podem dizer que sou uma pessoa vazia e sem conteúdo, alegando que uma prova disso é esse parágrafo, mas que se dane. Próximo parágrafo, por favor!! Obrigado!
E assim eu vou, com consideráveis Daltons (unidade de medida usada para quantidades e níveis moleculares) de cafeína a nível sangüíneo, se bem que pra mim cafeína tem efeito antagonista – eu tomo um metro cúbico de café e durmo como uma anta (porque o efeito é ANTAgonista – esse trocadilho foi péssimo, ultimamente venho me superando). É que também sempre fui uma criatura de hábitos noturnos, falando sério, prefiro dormir de dia, evitando os raios ultra violetas com comprimento de onda (λ, indicado pela letra grega Lâmbida)inferior a 310 nanômetros, mas igual, prefiroa noite. Isso até lembra a parte de física sobre ondas V = λ.f ,ou que a Velocidade é igual ao produto da multiplicação entre comprimento de onda pela freqüência. E pra decorar a porcaria da fórmula, tá valendo macetes de cursinho: Vamos Lamber Feridas!! Vamos Lamber Fiofó!! Vamos Lamber Fernanda Lima. Vamos Lamber Fernanda Paes Leme.
Ok, acho que acabei!! Divirtam-se!!!

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Anatomia


Havana, 15 de janeiro de 2009.

Está chegando mais um fim de semana. Talvez mais um tedioso final de semana, pois logo na outra semana estaremos ¨embarcados¨, cheios de prova. Pra ¨variar¨, essa semana foi uma correria (correr atrás da máquina, correr atrás do prejuízo, até porque o cavalo encilhado só passa uma vez…).
Estamos vivendo o inverno cubano, onde muita gente o considera frio, justo porque nao conhece o inverno do sul do Brasil. Aqui, no máximo é colocar um moleton e tá feito, até porque a faculdade é bem próxima ao mar, tem muito vento e existe o fator da sensaçao térmica. Eu, sinceramente, prefiro o inverno, acompanhado de dias cinzas, como tem feito últimamente.
Agora, mudando de saco pra mala, eu comento sobre as aulas de anatomia em salas com o ¨agradável¨ aroma de formol, utilizado para conservar alguns cadáveres e assim promover o progresso da ciencia. E ale´m de tudo, estudar os aspectos morfofisiológicos na teoria e praxis….¨estoy hasta el coño¨!!!!! Na prática é possível observar que a maioría das gurias da República Dominicana possum o músculo glúteo maior bem desenvolvido, anatomicamente falando, sem maldades. A aula de anatomia, é o único lugar no tempo e no espaço em que tu podes dizer ¨I can see dead people¨, a nao ser que tu seja o gurí do filme ¨O sexto sentido¨. Alguns cadáveres nao estao tao anatomicos, até por serem de pessoas idosas e literalmente os corpos estarem em estado cadavérico já há alguns anos (eu quero dizer que já estao há alguns anos como tema decorativo dos tanques de formol). E sem falar do padeciemento dos mesmos ao serem manuseados por estúpidos estudantes (como eu) – os cadáveres permanecem indiferentes, nao se demosntram encomodados e nem se queixam - sao cobaias comportadas e colaborativas (ai!! Esse trocadilho foi péssimo). Até porque eles se queixassem para mim, eu teria que ir me queixar ao psiquiatra e dizer que eu estou com esquizofrenia. E se a esquizofrenia ficar mais drástica só sessao do descarrego, que também é síntoma de esquizofrenia!!!!
Minhas aulas de anatomia no Brasil até que eram engraçadas, o professor ensinava o nome científico das peças em estudo, bem como acrecentava os respectivos apelidos que mesmas tem no balcao do açougue. Ele também se queixava da burocracia para a captacao de cadáveres: ¨É muito bonito a prefeitura prestar assistencia funerária aos indigentes, mas é ruim para a ciencia, pois nao temos cadáveres¨.
Sempre tem aquele suspense de tipo o cara chegar e quando ver, o cadáver era alguem conhecido, sei lá, um parente, amigo vizinho, etc. Sem falar que sempre tem aquela lenda urbana de que nao sei quando, um estudante de medicina foi ver e era seu pai. O estudante ficou traumatizado (ou louco) e abandonou a faculdade. Por sinal, assim como a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), a Escuela Latino Americana de Medicina (ELAM) também possui suas lendas urbanas, mas isso sao outros 500.
Mais um final de semana sem saír, mais uma semana sem nenhuma saída no meio da semana. É, isso é realmente um sacerdócio. Para animar, só algunas notícias do Brasil, algumas boas e outras nem tanto. Espero breve poder cantar: ¨Deu para ti, baixo astral, vou pra Porto Alegre, tchau¨!!!

Reality show


Havana, 15 de janeiro de 2008

A vida nao é fácil, pois se fosse, náo teria graça. Vi manchete de que já iniciou o BBB9,cada ano com uma velha inovaçao. Sobre os ¨nossos heróis¨, definiçao do Bial, quase sempre se repete os estereótipos da casa em relaçao as profissoes: promotor de eventos, designer, publicitário, etc … profissoes ques estao na moda. Se nao for isso, eu aposto que sao coisas bem parecidas. Depois seguem os complos, a ¨luta de classes¨, etc. Mais foda é quando tu liga para algum amigo teu e diz:

- Bah, e aí, vamo lá nas gurias tomar mate, comer pizza e asistir filme? Elas mandaram mensagem nos chamando.
- Vamo sim, mas só depois do BBB, é que eu quero ver quem vai pro paredao.

Pior é quando nas mesas de bar os acirrados debates a respeito da campanha da dupla GRENAL sao tangenciados para o reality show:

- Se o Neroli (nome genérico qualquer para designar qualquer pessoa, nao necesariamente que a mesma possua a (des)graça de Neroli. Ou melhor, seria um participante hipotético do programa) nao mudar a tática, ele vai saír, eu to dizendo.

- Ah, mas nao sai!!! O Badana (nome genérico qualquer) tá mais queimado que ele. Aquí fora ninguém gosta do Badanha.

- Bah, indiada!! Quem nao pode saír é a Gertrudes (nome genérico também), aquela morena é que dá IBOPE pro programa.

- Que Gertrudes!!! A Godofreda (nome genérico também) tem muito mais peito que ela!!!

- Que chinelagem o modelinho aquele, o tal de Lindomar (nome hipotético na mesma situaçao que Neroli, ou até pior)!!! Ele ainda nao comeu a Gertrudes!


Para salvar o mundo da crise, tal qual a Colgate salva o mundo das cáries, poderiam abrir açoes do BBB ao mercado (assim como a Yeda fez com o Banrisul, só que a Yeda fez cagada), atraír investimentos, reducir o Risco Brasil e de repente dar um folego para BOVESPA. Ou entao vender uma parte pro banco do Brasil, que tá comprando tudo agora.
Imaginem as expeculacoes em dia de paredao: as açoes vao lá em cima. Também a questao dos contratos publicitários, já pensou se com as ¨estalecas¨ os brothers posma comprar Alma de Flores, Minancora e mais produtos cosméticos. Vou além, as estalecas podem competir com o Dólar no mercado internacional. Que tal!!! Imagine, esse segmento da economia poderia dar uma engordada no nosso PIB, sem falar das gordas arrecadacoes dos cofres públicos.
To até pensando aquí, dar uma trancada na faculdade, faço um vídeo excentrico e mando para lá, com sorte eles me enviam pro confinamento ‘ tal qual cobaias de laboratorio. Talvez assim eu teria reconhecimento, nao seria apenas um rosto feio na telinha, mas um cara chato que seria defenestrado na primeira semana. Se nessa primeira semana eu ganhasse um carro(Corcel, Belina, DKV, Aero-Willis) ou uma ¨Frigidér¨(FRIFIDÉR: espécie de refrigerador primitivo, arredondado, porta com maçaneta, motor barulhento e em cima do aparéelo debe ter um pingüim como decoraçao. Sem o pingüim nao é legítima. Está longe de ser uma Brastemp), eu sairia mais faceiro que gordo de camisa nova.
A verdade é que eu nem ía falar de BBB, até porque estou sem asunto, talvez fosse apenas narrar uma tediosa semana. Ok, se conseguiram ler o texto até o final, mesmo que bocejando (admito que ele tá chato, afinal, eu sou chato), eu agradeço. Mas quem sabe tu vai lar ligar a TV e ¨dar uma espiadinha¨, que debe estar mais interessante.



PS: desculpem-me pelos erros ortográficos e tal, é que o teclado tá configurado para español.