segunda-feira, 20 de julho de 2009

O causo do professor, segunda parte

A situação política no estado estava um tanto quanto conturbada, pois havia demasiada repressão aos sindicatos e movimentos sociais. A segurança pública também deixava a desejar, pois fazia três semanas que Júlio, colega de trabalho de Beto (também professor da rede estadual de ensino), à noite enquanto saía da escola, tomou um tiro quando foi assaltado. A cada greve que os professores faziam, tinham seus dias “parados” descontados em folha de pagamento. Não adiantou nem ocupar o Palácio Piratini exigindo melhores condições de trabalho.

Mais uma aula de história para adolescentes no colégio, o tema dessa vez era a Ditadura Militar no Brasil, no final da aula, Beto fez uma sugestão de filmes pro pessoal, entre eles: “O que é isso, companheiro?” e “O ano em que meus pais saíram de férias”. Não passou uma semana, havia reunião com de professores com os pais do alunos, tudo certo, Beto entregava os boletins falava com os pais dos alunos, críticas, elogios etc. De repente, entra na sala um sujeito alto, de porte físico forte, cabelo bem aparado e barba feita. Uma camisa pólo, calça jeans azul e um sapatenis. Esse sujeito entra na sala de aula, pedindo licença educadamente e perguntando quem era o professor de história.
- Sou eu. – diz Beto enquanto levanta a mão.
O sujeito chega perto e do nada dá um soco na cara de Beto e grita:
- Então é tu, seu professorzinho de merda, que tá mandando minha filha olhar esses filmes de terrorista. Eu não sei como o governo deixa que merdas tipo tu lecionem, seu viado!
Nisso, Beto retribui o murro e os dois começam a lutar em sala de aula, quando Beto vai afasta o braço direito pra lançar mais um golpe, o pai da aluna lhe aponta uma revólver na cabeça e diz:
- E agora seu merda, vai fazer o que? Vai fazer a revolução? Voces não são tão bons assim? Eu sou pai de aluna, não sei quanto a vocês – falava se dirigindo aos demais pais presentes – mas eu vou tirar minha filha desse colégiozinho de merda! Não quero nenhuma comunista maconheira na minha casa. Nao criei filha pra ser puta. A Antonia, minha filha, nao é obrigada a vir pra uma aula de merda, escutar as besteiras que esse viado fala. Ela só tem quinze anos!
Beto mantinha suas mãos erguidas e seguia calado, mas com os olhos fixos no pai de Antonia. Nisso, o pai da aluna vai se afastando a arma da cabeça do professor lentamente e também se afastando e dizia:
- Eu sou militar, odeio essa anarquia do governo, odeio esses professores de história metidos a revolucionários, bando de viado e maconheiro que são. Sou sargento do Exército Brasileiro e não admito ninguém poluindo a cabeça de minha filha com mentiras. E foi se retirando, já na porta, ele mostra o tambor do revólver e se dirige ao professor:
-Dessa vez ta descarregado, seu bizonho! E é bom ficar esperto!
Gerou o maior constragimento no recinto, os pais vão se retirando enquanto o diretor da escola dizia:
- Tudo certo, senhores, se acalmem a situação está sob controle.
Os outros professores levaram Beto à sala de professores pra colocar um gelo no rosto para diminuir o inchaço. Nisso, Zuleide, a coordenadora da escola diz:
- O seguinte, não é prudente tu ir pra tua casa hoje, vamo lá pra casa e amanha a gente resolve!!
- Milico fiá da puta, a volta vem!!!! – resmungava Beto.
- Te acalma, disse Zuleide, liga pra tua casa e avisa que não vai posar lá, amanha tu resolve.
Beto pega o celular e liga:
- Smigle, é o Beto!!! Avisa o pessoal aí em casa que hoje eu não vou posar aí, tenho um aniversário duma colega.
Ah, não diz nada pra Leila, depois te conto. Valeu, tchau!!
Smigle era o apelido do seu irmão mais novo, Gabriel. Beto foi de carona com Zuleide e seu marido, Vilmar. Vilmar era funcionário dos Correios, tinha 47 anos. Zuleide era professora de português, 42 anos e estava no cargo de coordenadora pedagógica. Chegando em casa, eles conversavam com Beto e diziam:
- Beto, a situação anda um caos, sabemos que tu não fez nada de mais, mas acontece que tem muita repressão. Se conselho fosse bom não era dado, era vendido, então é o seguinte, seria prudente tu arrumar um atestado e tirar umas férias. Eu te conheço bem, sei que tu militava no movimento estudantil e tal, já apanhou da policia e tudo. Eu conheço um médico que pode te arrumar o atestado e também tenho amigos no Uruguai, se tu quiser ficar um tempo lá, eu posso falar com eles.
- Olha, ainda não sei... e que passa com o cursinho? Com minha família, com a minha namorada, vou assim, sem mais nem menos? Tem que pensar, e no fim, vou fazer o que no Uruguay? Não posso parasitar ninguém e também nao ¨hablo¨ castelhano!
- Tranqüilo, tu tens razão, mas assim, com a tua família e namorada tu conversa, eles vão entender. Do estado tu entra de licença, tranqüilo, no cursinho tu vai te afastar com o atestado, e quando tu voltar, qualquer cursinho te contrataria. E lá no Uruguai tu vai trabalhar, esses meu amigos tem uma vídeo locadora e um cyber café.
- É que se eu decido agora, vai ser algo muito precipitado, tenho que ter uns dias pra pensar.
- Tem que ser rápido, em quatro dias pelo menos pra ajeitar tuas coisas. A irmã desse meu amigo tá aqui na cidade e vai pra Montevidéu em quatro dias. Pra amanha de tarde te consigo a consulta com o médico, e posso te dar uma ajuda com as questões de papelada pra atestado e tal.
No outro dia de manha cedo, enquanto sua família tomava o café da manha, chegava Beto com uma cara amassada e Gabriel disse:
- Aham, garanhão, cortado de alça de gaita e riscado a ponta de teta!!! Eita galo veio, deixa a Leila saber disso...
- Vai tomar no cu, Smigle, antes fosse isso. È uma longa história.Se tu soubesse o que tá acontecendo tu nem viria me aloprar, seu fedelho!
Beto contou tudo à família, que ficou preocupada. Então começou os preparativos para a viagem ao Uruguai.
Ao meio dia foi almoçar na casa de Leila, conversou com ela e expôs a situação. Pra que os pais dela não soubessem do caso, eles fingiram terminar o namoro. Pela tarde, foi ao médico, ok tudo certo. Em quatro dias partiu. Gabriel lhe deu um porta CD`s e disse:
- Pra tu te distrair no Uruguai, seu animal!!!!
- Que distrair, seu viado! Que cabeça tenho eu pra ouvir música? Impressão minha ou esse porta CD tá meio pesado? – perguntou Beto.
- Pelo menos abre, né.
Havia um revólver dentro.
De novo disse Smigle:
- Tu pode precisar, mas só tem uma bala. Com o resto da munição tu te vira!!!!




A HITÓRIA CONTINUA!!!!!

domingo, 5 de julho de 2009

Honduras

Havana, 29 de junho de 2009
Ontem era domingo, levantei tipo umas dez da manha ou mais, tomei um banho, me vesti e saí para comprar café. Desço um andar e observo a TV ligada no piso dos argentinos e costa-ricenses, que transmite notícias ao vivo sobre o seqüestro do presidente de Honduras, José Manoel Zelaya. As notícias diziam que ele havia sofrido um golpe militar e estava exilado na Costa Rica.
Agora, vamos analizar o contexto de Honduras: Pela constituição vigente, a reeleição não é permitida. O presidente Zelaya assinou o projeto ALBA, inserindo Honduras nesse programa alternativo. Antes das eleições, iria ser feita uma consulta popular com o povo, para ver se o mesmo aprovaria uma reforma constitucional. A reforma constitucional traria muitos avanços ao povo, e também legitimaria a reeleição. Olha, sinceramente, mais democrático que isso, eu não sei!!!
O presidente Zelaya e sua esposa chegaram à Costa Rica de pijama. Na madrugada invadiram sua casa e o seqüestraram. Os militares forjaram um documento como se o presidente tivesse renunciado ao poder. O rapto e o translado a Costa Rica era para soar como que os militares foram bonzinhos e o exilaram. Uma ministra foi seqüestrada e também os embaixadores de Cuba, Venezuela e da Nicarágua. Um parlamentar foi morto e lideres estudantis também foram seqüestrados.
Honduras possui uma oligarquia de 18 famílias que comandam o país, o qual já tem traços reacionários na sua historia. Como por exemplo, apoiou o movimento dos Contra da Nicarágua e permitiu que os cubanos mafiosos de Miami com suas organizações terroristas fossem treinar se preparar militarmente para a invasão de Playa Giron (mais conhecido como o ataque `a Bahia dos Porcos). A nação hondurenha não possui partidos comunistas, nem socialista e tão pouco algum que seja declaradamente de esquerda, então qualquer força progressista vai entrar em choque com os antigos modelos. Vale lembrar que nos lugares de mais difícil acesso nesse país, há brigadas de médicos cubanos.
Os militares, após darem o golpe (liderados por Roberto Micheleti, corrupto que esta no parlamento há mais de 20 anos) seguem oprimindo, visto que o povo não possui armas de fogo para oferecer resistência. Muitos jornalistas estrangeiros foram agredidos pelas forças policiais, inclusive um cinegrafista da TELESUR, um canal cubano de televisão. Estou ciente que neste momento o Brasil está imerso em noticias sobre o nosso triunfo na copa das confederações ou na morte do Michael Jackson. Os noticiários tradicionais do Brasil (a mídia gorda) deve ter exposto muito pouco e ainda com informações distorcidas. Alguém um pouco reacionário pode perguntar: “ E por que o Chavez se meteu nisso?”
Em primeiro lugar ‘e a solidariedade, e independente disso o Chavez também foi seqüestrado e com apoio e resistência do povo, voltou ao poder. E como já mencionei antes, Honduras há pouco aderiu ao ALBA, que busca a segunda independência da América Latina. Na tarde de domingo, alguns embaixadores se reuniram na embaixada do Uruguai em Cuba, onde esteve presente a imprensa e eles se declararam contra o golpe e a favor do presidente Zelaya. Durante a noite, aqui na ELAM, foi feito um ato público, onde os hondurenhos (popularmente CATRACHOS) esclareceram a situação, divulgaram noticias e imagens. Fizemos uma marcha pela escola, com as bandeiras de cada pais representado na facul, em sinal de repudio `a putaria semeada pelos militares hondurenhos. Cada pais hasteou sua bandeira a meio pau. Vale lembrar os gritos de ordem da galera da Argentina, oriunda desde os tempos de sua ditadura, enquanto entoavam a música, pulavam: “Hay que saltar, hay que saltar, pues quien no salta es militar”.
Hoje, segunda feira, no um CINE TEATRO ELAM, teve um evento formal, inclusive com a presença do embaixador de Honduras e da TV Cubana.
Assim que possível, mais esclarecimentos com o caso!!!

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Honduras y etc

Pessoal, a quetaum de Honduras, nao se vcs tem acompanhado, mas o mais urgtente possivel vou atualizar aqui esclarecendo o que realmente ocooreu por lah, e noticias e fgatos descontaminados da sujeira da midia gorda e
tb vou postar o resto do causo do prfessor hehehe
Hasta la vicotoria, siempre!!!