domingo, 13 de novembro de 2011

A Camila e o Fernandinho

Camagüey, CUBA, 13 de novembro de 2011

Certa feita as pessoas lembravam do Fernandinho e da Camila, uns “aborrescentes” de seus mais ou menos 17 ou 18 anos, coisa que não fugia dessa faixa. Pois bem, amigos, um tanto quanto “porra loca” para suas idades, com muitas coisas em comum, gostos, percepções, ideais e aquela vontade louca de conhecer o mundão. Altos papos filosóficos e por aí a coisa ia se desfiando, desde chimarrão, churrasco, rock gaúcho, Janis Joplin, discos de vinil, e canções do Mano Lima. Depois do rápido contato real, eram encontros cada vez mais raros através da “highway da super-informação” (como diz aquela música dos “Engenheiros do Hawaii”. Cada qual com seus causos da vida, e a vida nos causos, apesar da distância e carinho, causos verdadeiros. Certa feita o Fernandinho tinha dito que havia algo no ar, mas um tanto quanto abstrato, e era ainda mais bonito por ser abstrato.
Cada qual com seus ideais, utopias e aspirações, muitas convergiam, outras divergiam. Entre elas, pelo menos duas em comum... Ela seguiu uma utopia, ele seguiu outra... quer dizer, não é que ele seguiu outra, ele queria seguir aquela “uma” também, mas eu prefiro acreditar que ele adiou um pouco, não se sabe por quanto tempo, mas ele adiou!! Ela também, ela seguiu a uma, mas sempre demonstrou interesse e inclinação para a “outra”, talvez o Fernandinho prefira pensar que Camila também adiou essa utopia chamada “outra”. Talvez chegue o dia em que ambos, nesse aspecto filosófico-prático-ideal e real (por que não?) estejam próximos, bem próximos, ambos com uma e com a outra aspiração sendo real, e inspirando esses dois loucos personagens.
Em uma ocasião tiveram a idéia de viajar com uma mochila (ou mala de garupa) no lombo, um saco de dormir e uma barraquinha de carona, cruzando litoral, serra, fronteira e outras bandas, escrever um diário de bordo e aprender muito com isso. Também se plantou a semente da ambição de estender essa viagem e cometer essa façanha a nível de América-Latina... mas aquela coisa, nunca deu... cada qual com seus problemas, suas vidas e as supostas soluções de seus “perros” problemas.
Hoje Fernandinho, tem um hobby, olhar coisas mais ou menos do gênero “realismo fantástico”, assim ele assiste os tele-jornais, mas como ele é cético, e já disse, “realismo fantástico”. Um dos hobbies é olhar tele-jornais nas férias. Bom, eu não sei, dizem que além de tudo, uma das coisas que Camila curte, além de rock´n´roll, são questões ligadas a América Latina e cosas sobre saúde!! Agora se ela é cética com isso... só se perguntarmos a ela.
Por outro lado, creio que ambos viram quem 100% das veredas que escolheram tomar em determinado ponto na viagem, cada qual com suas decepções e ver que as idéias e as suas práticas estão longe de serem totalmente perfeitas. E ainda assim, cada qual tem a profunda e sincera crença, que mesmo com os defeitos humanos embutidos, suas idéias são as mais corretas possíveis, isso eu admiro nos dois!!! Quero comemorar com os dois, no dia em que esses caminhos se cruzarem de novo...


PS.: qualquer semelhança com a coincidência, é pura realidade (assim já dizia o grupo uruguaio de murga “Agarrate Catalina”)

Nenhum comentário:

Postar um comentário